Reputação (Parte 1)

Texto original: Reputation (Part 1)
Postado em: 06 de abril de 2009
Autor: Ameron
Site: The Core Mechanic / Dungeon’s Master


A Equipe da Dungeon’s Master está feliz em anunciar que somos autores de um artigo no The Core Mechanic. Nosso artigo sobre Reputação é o primeiro de três artigos examinando a reputação dos personagens em D&D.


Este é o segundo de três artigos examinando reputação. Reputação (parte 1) foi apresentado no The Core Mechanic alguns dias atrás. Ele era destinado aos mestres e fornecem direcionamentos para a utilização da reputação como uma ferramenta de campanha. Reputação (parte 2) e Reputação (parte 3) são direcionadas aos jogadores e fornecem uma compreensão de como os personagens podem moldar sua própria reputação e ganhar os benefícios dela.


Por favor vejam nossa contribuição no The Core Mechanic e enquanto estiver lá gaste um tempinho pesquisando o site. Ele está cheio de excelentes artigos sobre D&D que muitos mestres e jogadores acharão úteis.


Reputação é tudo em D&D. Mesmo os personagens de 1º nível tem uma reputação. Isso pode ser apenas uma reputação por ser ávidos para provar a si mesmos, mas ela ainda não é suficiente para fazê-los notáveis. O que os personagens fazem hoje terá um impacto direto nas oportunidades propiciadas no futuro. Cada aventura será adicionada a sua reputação e impactará em como os personagens do mestre (NPCs) os verão. Depende do mestre usar reputação para intensificar o jogo como um todo.


Este é o primeiro de três artigos examinando reputação. Reputação (parte 1) é destinado aos mestres e fornece direcionamentos para a utilização da reputação com seu potencial máximo. As partes 2 e 3 são direcionadas aos jogadores e fornecem uma compreensão de como os personagens podem moldar sua própria reputação e ganhar os benefícios dela. Veja as partes 2 e 3 no Dungeon’s Master.





“E aqui no Trampolim RPG nos próximos dias.”


Muitos mestres e jogadores negligenciam e subestimam a importância da reputação em D&D. O mestre deveria usar os feitos do passado dos personagens para moldar novas linhas históricas. Supõe-se que os personagens são os melhores dos melhores. O que eles fazem e como eles fazem é observado de perto. As pessoas vão querer saber que tipo de criaturas eles lutam, que tipo de tesouro eles acumulam e o que eles planejam fazer em seguida. Essencialmente, os personagens são celebridades e devem ser tratadas como tal.




Reputação – A perspectiva do mestre


Quando os personagens visitam novas aldeias, vilas e cidades, deve existir uma chance que alguém tenha ouvido falar deles. Se os personagens estiverem apenas começando as suas careiras, a probabilidade de serem reconhecidos é mínima. A medida que os personagens ganham experiência, as novidades sobre seus atos heróicos se espalharão e as pessoas começarão a falar. Os personagens passam a ser reconhecidos com mais freqüência. Isso pode ser útil em alguns cenários em detrimento de outros. Embora seja bom ser famoso, haverá momentos que os personagens querem privacidade. A medida que a reputação dos personagens cresce, o mestre deveria aplicar modificadores apropriados de acordo com a situação.




Reputação Positiva


Os personagens são heróis e todos sabem disso. As suas realizações são alvo de canções de bardos e de lendas. Suas vastas riquezas e poder são razões chave para sua reputação positiva. Todos querem saber mais sobre os personagens. Todos querem conhecê-los. Os personagens são os pontos de luz na escuridão e toda a atenção está focada neles.


No geral, as pessoas irão abrir suas portas para saudar os personagens. Figuras importantes que não estão dispostos a encontrar-se com eles ficam curiosas, ou experimentam uma mudança no coração e abraçam a oportunidade de ficar próximo deles. Talvez alguns poucos admiradores estejam genuinamente interessados em apenas ser seus amigos.


Estas perícias podem ser melhoradas com uma reputação positiva:




  • Blefar: Quanto maior a reputação, mais os ouvintes vão aceitar o que lhes é dito;

  • Diplomacia: Encontros sociais são fáceis. As pessoas são fascinadas com os personagens e irão perdoar muitas gafes.

  • Manha: Tudo que os personagens perguntarem será respondido.


Ficar famoso também traz algumas armadilhas. Se os personagens ganharam reputação por sua afinidade com tudo que é bom e honrado, as tentativas de infiltrar-se em organizações criminosas pode encontrar fortes resistências. A fama também pode ser regional dependendo das razões para a reputação positiva. Heróis de guerra se tornarão celebridades em seus reinos, mas podem ser escarnecidos pelos seus vizinhos.


Estas perícias podem se tornar mais difíceis devido a uma reputação positiva:




  • Intuição: Todos querem conhecer os personagens e quando eles conhecem, eles vão querer ser lembrados. Existem tantas pessoas tecendo tantos contos que pode ser difícil discernir as verdades das mentiras.

  • Furtividade: Como você passará desapercebido se você é famoso? É possível, mas é muito mais difícil.


Ninguém é famoso para sempre. O mestre deveria apresentar várias oportunidades para os personagens ferirem sua própria reputação. Se eles escolhem fazer coisas idiotas sem pensar nas conseqüências de longo prazo, então a culpa será inteiramente deles. Apenas lembre-se de oferecer oportunidades de redenção se os personagens começarem a decair.




Reputação Negativa


Os personagens estão passando por uma má fase ultimamente. Talvez eles não tenham derrotado o dragão que ameaça a aldeia, tendo apenas o ferido. Após os personagens deixarem o local, o dragão retornou e lançou a sua ira sobre os inocentes camponeses. Repentinamente, os personagens se tornam infames; todos os conhecem, mas pelas razões erradas.


Existem poucos benefícios em ser odiado ou desprezado. Se os personagens foram responsáveis por causar uma grande quantidade de dano colateral enquanto eles viajavam pelo reino, então eles podem ser convidados retornar antes de chegar aos portões da cidade. As pessoas sentem-se menos inclinadas a conversar com os personagens, sendo até mesmo completamente hostis. Figuras importantes podem recusar-se a encontrar-se com eles sobre quaisquer circunstancias.


Estas perícias podem ser melhoradas pela reputação negativa:




  • Blefar: Uma vez que as pessoas já pensam o pior de você, qualquer tentativa de expressar este ponto de vista pode ser bem sucedida.

  • Intimidação: As pessoas provavelmente esperam que você seja vil e detestável. Um pequeno espetáculo de força ou mesmo uma ameaça de força, pode ser uma forma efetiva de conseguir o que você quer.


Estas perícias podem se tornar mais difíceis devido a reputação negativa:




  • Diplomacia: Ninguém quer arriscar associação com você. Boa sorte na procura por pessoas que o tratam cordialmente.

  • Manha: Não é comum que as pessoas queiram compartilhar informações com você. Se o fizerem, fique atento.


Normalmente se os personagens possuem uma reputação negativa, eles devem fazer alguma coisa rapidamente para tentar remediar o problema. Depende do mestre apresentar oportunidades para os personagens serem postos a prova. O tamanho da tarefa deve ser deixada a cargo dos personagens. Deixe-os decidir se eles querem engatinhar ou tentar consertar as coisas com um grande gesto.




Reputação Imerecida


Uma reputação imerecida tem o potencial de ser muito divertida e muito perigosa. Ela pode vir de algo como uma identidade trocada. Os personagens combinam com a descrição de outro grupo de heróis e são confundidos com eles. Talvez os personagens tropeçam no local de uma grande batalha e uma testemunha assume que eles são os responsáveis pela vitória. Existem muitas possibilidades, nenhuma delas boa para os personagens – pelo menos não a longo prazo. Os ganhos de curto prazo são os mesmos para uma reputação positiva. Quando a verdade vem a tona (e ela sempre vem) então os personagens irão da fama a infâmia num piscar de olhos.


A idéia de uma reputação imerecida tem o maior apelo para mim como mestre. Ela força os personagens a decidir se os benefícios de aceitar a reputação imerecida vale o risco. Este cenário concede ao mestre a oportunidade perfeita para começar novos ganchos de aventuras, introduzir novos personagens e configurar as bases para uma campanha de longo prazo.


Se os personagens adotarem a identidade do grupo com o qual foram confundidos, isso pode trazer conseqüências negativas. Abaixo apresento algumas idéias de como tornar a vida difícil (ou pelo menos interessante) para os personagens se eles decidirem aceitar uma reputação imerecida:




  • Os heróis reais podem ser procurados por crimes no reino vizinho;

  • Um item que supõe-se que os personagens tenham é necessário, mas obviamente está indisponível;

  • Antigas dívidas dos verdadeiros heróis podem ser cobradas por um poderoso Mago;

  • Uma mulher grávida pode demandar que o pai da criança case-se com ela;

  • Os heróis de verdade podem aparecer.


As possibilidades são limitadas apenas pela imaginação do mestre. No final você irá querer que as escalas sejam balanceadas. Só por que os personagens cedem quando não seriam permitidos, isso não significa que a punição deva ser muito prejudicial. O mestre deve sempre proporcionar oportunidades para os personagens fazerem as coisas certas. Isso não precisa ser fácil, mas deve ser possível.




Conclusão


Cabe ao mestre e jogadores decidirem se a reputação irá impactar em todo o jogo. Usar o sistema de reputação não deveria ser obrigatório e não deve ter nenhum efeito adverso se os personagens não queiram preocupar-se com isso. No fim das contas, todos devem concordar em qual a extensão a reputação terá em seu jogo.

One Responseto “Reputação (Parte 1)”

  1. [...] (parte 1) foi apresentado no The Core Mechanic alguns dias atrás e aqui no Trampolim RPG [Reputação (parte 1)]. Ele é destinado aos mestres e fornece direcionamentos para a utilização da reputação como uma [...]

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>