out 26, 2009 - Forja RPG    No Comments

Foco em Perícias: Prestar Auxílio (Parte 2)

Este artigo foi escrito por Ameron do dungeonmaster.com e foi ao ar em 8 de abril de 2009, tendo sido autorizada a sua tradução.


This article wrote by Ameron from dungeonmaster.com was posted at April 8, 2009 and its translation was authorized by his author.


Prestar auxílio em jogadas de perícias deve ser algo mais do que simplesmente fazer uma jogada de dados rápida ou de dar uma explicação sem sentido. Eu gosto do conceito de prestar auxílio e acho que tem muito a ser explorado nessa mecânica. Em “Foco em Perícias: Prestar Auxílio (Parte 1)” eu reclamei sobre o que eu acho ser uma mecânica quebrada do sistema e compartilhei minhas idéias sobre como melhorá-la. Agora eu vou apenas focar nos pontos positivos. Eu vou explorar quais ações constituem uma prestação de auxílio e como expandi-las.


Vamos recapitular a forma como prestar auxílio funciona. Quando um personagem estiver fazendo uma jogada de perícias, outros personagens podem tentar ajudá-lo proporcionando algum auxílio. O personagem que estiver prestando auxílio faz uma jogada da perícia relevante com CD 10 e se for bem sucedido, o personagem que estiver fazendo a jogada de perícias primária recebe um bônus de +2 nessa jogada.


Eu tive alguns problemas com a CD 10 estática, mas eu já discorri sobre este problema. Normalmente, se um personagem estiver fazendo uma jogada de Diplomacia e você quiser prestar auxílio, você também faz uma jogada de Diplomacia (CD 10). Isso faz sentido, mas não precisa ser a única opção.




Prestar Auxílio com outras perícias


A idéia por trás de prestar auxílio é permitir que os personagens que não são bons em várias perícias possam participar de um desafio de perícias. Se você for um guerreiro com um baixo valor em Carisma e sem treino formal em Diplomacia, você pode ainda assim ajudar a alcançar o sucesso. Em muitos casos você provavelmente conseguirá ajudar 50% das vezes. Eu concordo que prestar auxílio durante um desafio de perícias não é tão excitante quando lutar contra um dragão, mas é melhor do que permanecer em silêncio no meio da multidão enquanto seus amigos estão todos conversando. Os céus proíbem-nos de designá-lo para ser o jogador principal de uma jogada de Diplomacia. Afinal, você vai falhar!


Mas e se o mesmo guerreiro for um draconato com +6 em História? Ele poderia ser capaz de utilizar História para prestar auxílio numa jogada de Diplomacia? Eu acho que ele poderia, se o jogador fornecesse uma boa razão ou explicação do motivo pelo qual isso seria possível.




Adicione Valor


Eu só permito uma jogada de prestação de auxílio se o personagem que estiver ajudando puder explicar como a sua ajuda será útil. A assistência deve adicionar valor. Se a sua ação de prestar auxílio for apenas declarar “Eu presto auxílio” e jogar um dado de 20 lados, então você odiaria jogar em minha mesa. Eu recompenso a criatividade e encorajo que os jogadores usem suas imaginações. Eu não me importo com o que você sugerir, desde que seja plausível. Talvez você se lembre de outro detalhe que a primeira pessoa esqueceu-se de mencionar ou deseja demonstrar um segundo ponto de vista em uma discussão em particular. Sua ação precisa fazer sentido para seu personagem e isso tem que fazer algum sentido.


Se você vier com uma boa idéia de como usar Atletismo para prestar auxílio com uma jogada de Natureza, então eu permitirei isso. Esse exemplo surgiu quando um personagem tentava manter os cavalos alinhados. O primeiro personagem fez um teste de Natureza para controlar os animais e o segundo personagem usou Atletismo para puxar as rédeas e usar força bruta para manter os animais controlados. Uma utilização razoável de ambas as pericias, onde neste cenário eles certamente ajudavam um ao outro.


Outro exemplo é o uso de Percepção e Arcanismo para prestar auxílio em Ladinagem. O primeiro personagem descobriu uma série de armadilhas de dardos e tentou uma jogada primária de Ladinagem para desarmá-las. O segundo personagem o auxiliou com Percepção tentando ver como a armadilha estava conectada as placas de pressão no chão. O terceiro personagem usou Arcanismo para direcionar suas Mãos Mágicas para investigar os gatilhos antes que os personagens entrassem na sala. Estes são usos válidos para as outras perícias que podem ser utilizadas para desarmar armadilhas mais facilmente.




Jogue com suas forças


Permitir que os personagens utilizem outras perícias para prestar auxílio fará com que eles procurem suas melhores perícias e tentem observar outras formas de usá-las. Assim, se a CD para prestar auxílio for fácil, eles poderão obter sucessos automáticos. Isso também motivará todos a participar, uma vez que eles podem utilizar as perícias que eles são melhores e não precisam utilizar as mesmas perícias que a pessoa que agirá antes deles.


O que você acha? Eu estou sendo muito liberal por permitir que os jogadores possam prestar auxílio com perícias diferentes? Talvez prestar auxílio com perícias diferentes deva ser mais difícil? Talvez esse tipo de auxílio devesse conceder apenas um bônus de +1? Nós ficamos aguardando novas idéias.

Got anything to say? Go ahead and leave a comment!